Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
A IMPORTÂNCIA DE LADY DI
18/11/2021 20:41 em Mulheres Plurais

Foto: @dianamyidol/Instagram/Reprodução

Uma das grandes apostas do Oscar do próximo ano é o filme Spencer, lançado dia 5 de novembro nos cinemas americanos. O filme, baseado em fatos reais, retrata Lady Diana no final de 1991. Diana ficou muito popular devido ao seu casamento com o príncipe Charles, herdeiro do trono britânico. Porém, sua popularidade também se deu pela sua personalidade forte, beleza implacável e enorme generosidade, além de ter se tornado um exemplo ao quebrar paradigmas e preconceitos de sua época, estando à frente do seu tempo e se tornando um símbolo de diversas lutas. Conheça sua história:

 

Lady Di, como ficou conhecida, foi a primeira mulher a entrar na Família Real, e possuía um emprego antes do casamento. Diana já havia trabalhado como professora de jardim de infância, além de ter sido babá anteriormente. Apesar de parecer hoje um fato trivial, na época, as mulheres da monarquia costumavam estar estritamente ligadas às funções do lar. Isso impôs uma quebra nesse costume, e colocou em evidência as mulheres que possuíam empregos formais, e até mesmo incentivou meninas a desejarem uma carreira.

Além disso, era costume nas cerimônias de casamentos reais as noivas jurarem amar, respeitar e obedecer seus maridos, porém Diana optou por ocultar essa parte do juramento. Ao não declarar obediência, a nova princesa mostrou que seria diferente da monarquia conservadora, negando abaixar a cabeça diante de costumes machistas. Mais tarde, Kate Middleton e Meghan Markle, casadas com os filhos de Diana, também não juraram obediência diante da capela e de seus maridos.

Após o fim de seu casamento, Diana concedeu uma entrevista onde declarou que sofreu por décadas com doenças psicológicas, chamando atenção sobre o assunto que era tabu naquele período e que atualmente ainda não se tornou amplamente comentado e compreendido por todos. Diana admitiu ter sofrido com bulimia, e que sua luta contra a doença começou quando Charles, uma semana antes do noivado, brincou que ela estava com peso a mais; também disse que entre o noivado e o casamento, que durou apenas 2 meses, perdeu mais de 10 cm de cintura devido a bulimia. 

A princesa afirmou que, em meio a pressões da monarquia, acabou por entrar em um quadro depressivo, chegando até mesmo a tentar suicídio quando estava grávida ao se jogar do alto de uma escadaria. Mais tarde, em meio as traições de seu marido e perseguições de paparazzi, se afundou ainda mais na depressão e tentou se matar novamente. Diana disse que ao total foram cinco tentativas de suicídio.

Conhecida pela sua generosidade, não foi à toa que Diana recebeu o apelido de “Princesa do Povo”. Antes e depois de seu divórcio com príncipe Charles, esteve ativamente envolvida com diversas entidades de caridade. Além disso, também quebrou preconceitos ao visitar um hospital de AIDS e apertar a mão de um dos doentes. Esse ato foi fotografado e publicado em diversos jornais na época e, com isso, as pessoas se tornaram mais conscientes em relação à doença que, naquele momento, era chamada de “doença dos gays”, de maneira depreciativa. Existia, também, a crença popular de que a doença era transmitida pelo toque de pessoas contaminadas; Diana ajudou a acabar com essas superstições.

Lady Di, mesmo que inconscientemente, gerou mudanças no jornalismo, isso porque as perseguições de paparazzis e fotógrafos não eram comuns antes de sua ascensão à monarquia. Hoje é muito comum em editorias de fofocas o uso dessas práticas, que infelizmente são extremamente invasivas. Essa prática acabou até mesmo estando ligada indiretamente com o acidente que tirou a vida de Diana.

A princesa de Gales morreu em Paris ao sair de seu hotel no dia 31 de agosto de 1997, em um acidente de carro. As causas de seu acidente até hoje não são muito claras, e envolvem diversas teorias de conspiração. Porém, sabe-se que seu motorista fugia de paparazzis quando entrou no túnel em que ocorreu o acidente. Testemunhas disseram que Lady Di ainda estava consciente após o acidente e que suas últimas palavras foram “Me deixem em paz”, um protesto contra os paparazzi que tiravam fotos suas acidentada sem prestar socorro.

 

 

Por: Bianca Febraio Parma, estudante do 2º período de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!