Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
PRIMEIRO DIA DO ENEM 2021 É MARCADO POR CRISE NO INEP E MENOR NÚMERO DE INSCRITOS DA HISTÓRIA
22/11/2021 16:57 em Café com Plural

Foto: Edésio Ferreira/ EM/ D. A. Press

Neste domingo (22), foi aplicada, no Brasil inteiro, a primeira parte do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A prova contava com 90 questões, divididas entre as áreas de “Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias” e “Ciências Humanas e Suas Tecnologias”, além de uma redação dissertativa argumentativa sobre o tema “invisibilidade e registro civil: garantia de acesso a cidadania no Brasil”.

A aplicação de uma das avaliações mais importantes para estudantes do país já era motivo de polêmicas e discussões logo nas inscrições, em setembro. O Enem 2021 contou apenas com 3,1 milhões de inscritos, sendo a edição com menor número de pessoas candidatadas desde que o projeto foi criado. Os baixos números se devem, principalmente, à medida tomada pelo governo Bolsonaro de retirar o direito da isenção de inscrição de quem se candidatou, mas não compareceu à última edição da prova. Vale ressaltar que, em janeiro de 2021, quando foi aplicado o Enem 2020, o Brasil passava por uma época muito mais conturbada da pandemia, o que ocasionou em uma abstenção de mais da metade das pessoas que haviam feito a inscrição para a prova.

A Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação (Semesp) fez um levantamento que mostra que cerca de 11% das inscrições foram de pessoas pretas, o menor número desde 2009. Quanto às pessoas beneficiadas com a isenção da taxa, o número caiu quase 80% desde a última edição, tendo alcançado apenas 26,5% dos estudantes pelo país. A queda na adesão de pessoas pobres e pretas representa uma regressão não apenas para a educação brasileira, como também para todas as áreas.

Além disso, faltando pouco para o dia da prova - 15 de novembro -, o Presidente Jair Bolsonaro declarou que as questões agora “começam a ter a cara do governo”. A fala foi dada em Dubai, em resposta à crise de dezenas de pedidos de demissões de funcionários do Inep (órgão responsável pela prova do Enem). Em meio à discussões sobre possível intervenção nas questões da prova, os funcionários, que entregaram seus cargos, afirmaram ter sofrido pressão psicológica e que também teriam sido vigiados ao escolher as questões para evitar polêmicas que prejudicasse o atual governo.

Após a aplicação do primeiro dia da prova, e em resposta à declaração do Presidente Bolsonaro, o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que o Enem mantém o padrão de temas das edições anteriores. “Sobre a cara do governo, vocês puderam notar que o Enem segue o mesmo padrão nas provas.” O Ministro ainda repudiou a atitude de Bolsonaro, dizendo que teria sido uma tentativa de politizar a prova.

Nesta manhã, em sua frequente conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro voltou a comentar sobre o Enem, criticou questões sobre ideologia e afirmou que o Enem “já está mudando”.

 

 

Por: Igor Silveira, estudante do 2° período de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!