Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
BRASIL VENCE URUGUAI FORA DE CASA E TERMINA O ANO COM 100% NAS ELIMINATÓRIAS
18/11/2020 16:38 em Esporte

 

A seleção treinada por Tite venceu a Venezuela por 1x0 no Morumbi e o Uruguai por 2x0 no Centenário, em Montevidéu. Essa convocação foi marcada por nove desfalques, Éder Militão, Rodrigo Caio, Casemiro, Fabinho e Phillipe Coutinho (cortados antes da apresentação), Neymar (lesão muscular), Gabriel Menino (Covid-19), Pedro (lesão muscular) e Allan (lesão muscular), Pedro e Allan jogaram contra a Venezuela, mas não tiveram condições de jogar o segundo jogo. Tite foi conservador e sua única mudança na escalação titular foi a troca entre Allan, pela lesão, por Arthur, da Juventus. Os titulares foram: Éderson, Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Allan (Arthur), Douglas Luiz e Éverton Ribeiro; Gabriel Jesus, Richarlison e Roberto Firmino.

O primeiro jogo desta data FIFA foi o chato duelo contra a Venezuela, que evidenciou a falta que Neymar faz para a seleção. Lesionado, o jogador chegou a ser convocado pelo treinador, mas foi cortado posteriormente. Na falta do segundo maior artilheiro da história da seleção, Everton Ribeiro herdou a camisa 10 e honrou a escolha. O jogador foi um dos principais destaques do Brasil e peça-chave para a magra vitória. O gol foi marcado por Firmino, que empatou com Neymar na artilharia do Brasil na competição com 3 gols. Não foi uma atuação muito brilhante, mas conquistar os três pontos foi importantíssimo para a sequência das eliminatórias e para a manutenção da classificação.

Quatro dias depois, o Brasil enfrentou o Uruguai, e assim como o primeiro jogo, o confronto foi marcado por uma seleção não muito criativa, mas disciplinada. Os gols foram marcados por Arthur (primeiro dele com a seleção) e Richarlison, ambos no primeiro tempo. A falta de criação se dá não só pela ausência de Neymar, mas também de Coutinho, já que os dois fazem essa função. Everton Ribeiro foi bem, mas ficou sobrecarregado. Além disso, a opção de Tite de escalar três centroavantes para o ataque, com dois jogando pelas pontas, faz um time muito finalizador, mas nem tanto criador.

Apesar dos percalços, foram duas vitórias importantes. Os próximos jogos do Brasil são contra Colômbia e Argentina, estando marcados para março de 2021. Tite vem fazendo um trabalho coeso: a seleção está longe dos seus anos dourados, mas com muito tempo para a Copa de 2022. Particularmente, estou otimista para a evolução da canarinha e quem sabe o jejum de vinte anos não se encerre na próxima competição. O elenco conta com grandes nomes do futebol mundial, protagonistas de seus respectivos times, mas falta ao treinador conseguir fazer com que esses jogadores rendam tanto na seleção quando rendem em seus clubes. Só o tempo dirá se Tite conduzirá o Brasil ao sonhado hexa ou se o país terá que esperar mais 4 anos pela almejada estrela.

                                                                            

Johan Pena, aluno de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!