Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
CRISE QUE NÃO TEM FIM: A ASSUSTADORA DÍVIDA DO CORINTHIANS
29/03/2021 21:09 em Esporte

 

Como se a crise técnica e a péssima temporada em 2020 já não fossem suficientes para enlouquecer o torcedor corinthiano, o clube atravessa uma crise financeira que parece não ter fim. Para o Corinthians, o ano de  2021 pede cautela, cortes de gastos, e infelizmente, não se dar ao luxo de sonhar com conquistas em um futuro próximo.

Após se classificar a duras penas frente ao Retrô, pequeno clube de Pernambuco, na Copa do Brasil, mais especificamente, na madrugada de sábado, 27 de março, a diretoria do Sport Club Corinthians Paulista divulgou o balanço financeiro referente ao ano de 2020 e … a dívida é extensa e as expectativas não são nada boas. Conforme o documento divulgado pela RSM, empresa de consultoria contratada pelo clube, o alvinegro possui uma dívida acumulada de R$ 956,9 milhões ― valor resultante da subtração do ativo circulante (R$ 333 milhões) pelos passivos circulante e não circulante (1,2 bilhão). Vale lembrar que, essas contas excluem o valor devido à Caixa Federal pela construção da Arena Corinthians, hoje, Neo Química Arena. O valor total da dívida do estádio é de R$ 569 milhões. Dos quais, R$ 300 milhões serão abatidos com a receita dos naming rights. Restando, assim, R$ 269 milhões, que o Corinthians assume a responsabilidade de pagar em até 19 anos, ou seja, 2039. Voltando à dívida atual do clube do Parque São Jorge. O Corinthians encerrou a temporada passada da mesma forma que grande parte das equipes brasileiras, com um déficit em seu balanço patrimonial, o do alvinegro no valor de R$ 123,3 milhões, considerando que o departamento de futebol é responsável por quase 50% dessa quantia ― R$ 61,7 milhões. 

De acordo com as informações divulgadas pela RSM, a maior parte do valor devido é proveniente de parcelamentos de tributos devidos, o que tem um peso de aproximadamente R$ 300 milhões no balanço do clube. Todos os números podem ser conferidos no site oficial do Corinthians. E obviamente, preocupam a diretoria. Afinal, se a expectativa para a temporada já não era positiva, em razão da decepcionante temporada de 2020, as dívidas limitam ainda mais os próximos passos que o clube pode dar em busca de uma equipe competitiva.

Destaca-se que, já era de conhecimento dos atletas e da comissão técnica que o Timão não faria grandes investimentos no elenco para a temporada 2021 e que apostaria na base, justamente para não correr o risco de aumentar ainda mais o montante devido. Contudo, a atual situação gera uma preocupação ao técnico Vagner Mancini, a de perder jogadores em razão da necessidade de enxugar os gastos. Ao final do Brasileirão, o Corinthians já dispensou um número considerável de atletas que não vinham sendo aproveitados, dentre nomes caros como Walter e Jonathan Cafu, que foram defender o Cuiabá.

Porém, agora, a dúvida é quanto aos atletas constantemente utilizados na equipe e que podem se despedir do alvinegro, pelo fato da diretoria não ter condições de arcar com os custos. Dentre estes nomes, estão Jemerson, Otero e Cazares, jogadores que estão emprestados ao Corinthians, mas que têm a situação referente à renovação de contrato paralisada. Ademais, existe a possibilidade do clube precisar vender alguns nomes importantes para fazer caixa, visto que, na semana passada, três dirigentes corinthianos viajaram ao Oriente Médio para tentar vender alguns jogadores para estancar a crise financeira e diminuir a folha salarial. Assim, reduzindo ainda mais o limitado, frágil e pouco qualificado elenco do Timão.

 

João Benedito do Nascimento Gonçalves, aluno da Universidade Federal de Ouro Preto

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!